Romarias do primavera

Romarias do primavera


Campos verdes novamente e, mais uma vez, a promessa de uma terra fértil estende-se pela província zamorana.

Também a luz do sol banha a terra para festejar que o frio ficou para trás. Os habitantes das aldeias e cidades não hesitam em ir ao campo para pedir que a meteorologia seja favorável; antigamente os destinatários desta prece eram os deuses; hoje, os santos padroeiros das aldeias e comarcas.

Mayos

Ainda são numerosas as localidades zamoranas que conservam a tradição do Mayo. No primeiro dia desse mês os jovens cortam uma árvore da comunidade, o Mayo, e colocam-na verticalmente na praça da aldeia. Trata-se de uma festa de origem pagã ligada à fertilidade da terra. A tradição também a vincula à agricultura.

La Luz

No domingo a seguir a San Marcos celebra-se a romaria da Luz, tão zamorana como portuguesa porque é celebrada na capela situada nesse planalto, no limite do município de Moveros e em plena raia com o país luso. Os Alistanos sobem ali a virgem e desfrutam da popular romaria, com numerosos bancas de produtos tradicionais tanto espanhóis como portugueses

San Isidro Labrador

De todas as festas da primavera celebradas na província com um motivo mais ou menos agrícola, a mais concorrida é, sem dúvida, a de 15 de Maio, dia de San Isidro Labrador festejado em numerosas localidades da província, incluindo a capital, data na qual se celebra Alimenza, a Feira Luso-espanhola de Produtos Alimentares.

Nuestra Señora de Gracia

Celebra-se no domingo a seguir a San Marcos. Em torno da ermita de Nuestra Señora de Gracia, no limite municipal de Villamor de Cadozos, congregam-se os habitantes de Bermillo, Villamor de Cadozos e Almeida com objectivos diferentes: antigamente para pedir chuva, actualmente, para fazer um piquenique.

Cristo de Morales

Outra romaria popular é a do Cristo, em Morales del Vino. O encontro é a 9 de Maio, ainda que o lugar, onde se podem comprar as tradicionais avelãs e rosquilhas, recebe os zamoranos e habitantes de Tierra del Vino desde a noite anterior.

La Hiniesta

Na segunda-feira de Pentecostes os habitantes de Zamora levam a sua padroeira, a Virgem de la Concha, em procissão desde a igreja de San Antolín até à localidade de Hiniesta, onde se encontra com a Virgem da aldeia. Os Presidentes das Câmaras de ambas as localidades trocam os bastões. Celebra-se, segundo a tradição, que o rei Sancho IV encontrou por acaso uma imagem da Virgem neste lugar.

El Cristo de las Batallas

Na segunda-feira de Pentecostes os habitantes de Zamora levam a sua padroeira, a Virgem de la Concha, em procissão desde a igreja de San Antolín até à localidade de Hiniesta, onde se encontra com a Virgem da aldeia. Os Presidentes das Câmaras de ambas as localidades trocam os bastões. Celebra-se, segundo a tradição, que o rei Sancho IV encontrou por acaso uma imagem da Virgem neste lugar.

Los Viriatos

Festa declarada de interesse turístico regional. Fariza é o epicentro de uma concentração impressionante no mês de Junho. São os Viriatos, enormes pendões de sete metros de altura carregados por quatro pessoas. Cada uma das paróquias que rodeiam Fariza vai nesse dia à localidade com o pendão para iniciar a romaria à ermida de Nuestra Señora del Castillo.

La Veguilla

Festa declarada de interesse turístico regional que tem lugar em Benavente. São as festas em honra da Virgem de la Vega que se celebram oito dias após o Domingo de Páscoa. Durante esta festa o povo pede ao Presidente da Junta o touro enmaromado que se concederá e celebrará cinquenta dias depois.